Devocional Diário Charles Spurgeon

Sinopsis

Leitura dos devocionais diários do Charles Spurgeon.

Episodios

  • 30 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    30 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    30/10/2018 Duración: 02min

    30 de OutubroLouvar-te-ei, SENHOR. (Salmos 9.1)O louvor deve sempre acompanhar a oração respondida, assim como a névoa de gratidão terrena se levanta quando os raios de amor do sol celestial esquentam o solo. O Senhor tem sido gracioso para você, inclinando os ouvidos à voz do seu clamor? Então, louve-O enquanto você viver. Não deixe de louvar Aquele que tem respondido à sua súplica e satisfeito o desejo do seu coração. Ficar em silêncio a respeito das misericórdias de Deus significa incorrer no erro de ingratidão. Equivale a agir de modo tão desprezível como o fizeram os nove leprosos que, depois de curados da lepra, não retornaram para agradecer ao Senhor que lhes dera saúde completa.O louvor, assim como a oração, é um dos mais nobres meios de promovermos o crescimento da vida espiritual. Ajuda-nos a remover os fardos, exercitar a esperança e aumentar a fé. O louvor é um exercício saudável e fortificante que renova o pulso do crente e o prepara para novos empreendimentos no serviço de seu Senhor. Bendizer a

  • 25 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    25 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    25/10/2017 Duración: 02min

    25 de outubro. Por causa da verdade que permanece em nós e conosco estará para sempre. (2 João 2)Se a verdade de Deus recebe entrada no coração do homem e o subjuga a si mesma, nenhum poder, humano ou infernal, será capaz de expulsá-la. Nós a recebemos não como um simples convidado, e sim como o dono da casa -esta é uma das necessidades do crente. Os que sentem o poder vital do evangelho e conhecem o poder do Espírito Santo quando abre, aplica e sela a Palavra do Senhor, logo serão quebrantados, em vez de sentirem desejo de abandonar o evangelho de sua salvação. Incontáveis misericórdias estão envolvidas na certeza de que a verdade estará para sempre conosco; esta certeza será nosso amparo na vida, nosso conforto na morte, nossa canção de ascensão, nossa glória eterna. Este é um privilégio do crente; sem a certeza da presença da verdade nossa fé seria de pouco valor. Quando amadurecemos, deixamos algumas verdades para trás, visto que elas eram apenas rudimentos e lições para iniciantes. Mas não devemos agir a

  • 24 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    24 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    24/10/2017 Duración: 03min

    24 de outubro. Avigoram-se as árvores do SENHOR. (Salmos 104.16)Sem a seiva, uma árvore não pode florescer, nem mesmo existir. Vitalidade é essencial para o crente. Tem de existir vida - um princípio vital infundido em nós por Deus, o Espírito Santo. A simples confissão de ser crente é apenas uma coisa mortal. Ternos de ser cheios com o Espírito da vida divina. Esta vida é misteriosa. Nós não compreendemos a circulação da seiva, por meio de qual força ela sobe, e por meio de qual poder ela desce novamente. Assim, a vida dentro de nós é um mistério sagrado. A regeneração é realizada pelo Espírito Santo, quando Ele entra em um homem e se torna a sua vida. Em seguida, esta vida divina, em um crente, se alimenta da carne e do sangue de Cristo, e, deste modo, ela é mantida por alimento divino. Mas, de onde ela vem e para onde vai, quem pode explicar? Que coisa secreta é a seiva! As raízes se aprofundam no solo, porém não podemos vê-las expirando os diversos gases e transformando o mineral em vegetal. Esta obra é r

  • 23 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    23 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    23/10/2017 Duración: 02min

    23 de Outubro. Quereis também vós... retirar-vos? (João 6.67)Muitos têm abandonado a Cristo, não mais andam com Ele. Mas, que razão têm eles para esta mudança? Há algum motivo no passado? Jesus não se tem comprovado como todo-suficiente? Ele roga a você nesta manhã: "Tenho eu sido... um deserto?" (Jeremias 2.31.) Quando a sua alma confiou de maneira simples em Jesus, você se sentiu confuso em algum momento? Até agora você não descobriu que o seu Senhor tem sido um amigo compassivo e generoso? A fé simples nEle ainda não lhe deu toda a paz que seu espírito poderia desejar? Você pode sonhar como um amigo melhor do que Jesus lhe tem sido? Então, não troque o antigo e experimentado pelo novo e falso. Quanto ao presente, pode este motivá-lo a abandonar a Cristo? Quando somos afligidos por este mundo e por tribulações severas na igreja, descobrimos que é uma bênção poder reclinar a cabeça no seio de nosso Senhor. Este é o gozo que temos hoje – estamos salvos em Cristo. Se este gozo nos satisfaz, por que pensamos em

  • 22 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    22 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    22/10/2017 Duración: 02min

    22 de Outubro. Eu de mim mesmo os amarei. (Oséias 14.4)Esta sentença é um corpo de divindade em miniatura. Aquele que entende o significado desta afirmação é um teólogo e aquele que pode mergulhar na plenitude desta sentença é um verdadeiro mestre em Israel. Esta sentença é uma síntese da gloriosa mensagem de salvação que nos foi dada em Cristo Jesus, nosso Redentor. O âmago desta sentença está nas palavras "de mim mesmo". Esta é a maneira apropriada, gloriosa e divina pela qual o amor flui do céu à terra. É um amor espontâneo, manifestando-se para com aqueles que não o merecem, não o compraram, não procuraram por ele. Esta é realmente a única maneira como Deus pode nos amar. O texto é um golpe mortal para todos os tipos de aptidões: "Eu de mim mesmo os amarei". Ora, se houvesse em nós alguma aptidão necessária, então, Deus não nos amaria de Si mesmoi no mínimo, isto seria uma redução da generosidade deste amor. Mas a verdade permanece: "Eu de mim mesmo os amarei". Nós lamentamos: "Senhor, meu coração é tão e

  • 21 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    21 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    21/10/2017 Duración: 02min

    21 de outubro.O amor de Cristo nos constrange. (2 Coríntios 5.14)Quanto você deve ao meu Senhor? Quanto Ele já fez por você? Perdoou os seus pecados? Ele o vestiu com um manto de justiça? Colocou os seus pés sobre a rocha? Ele tem estabelecido os seus caminhos? Preparou o céu para você? Preparou você para o céu? Escreveu o seu nome no Livro da Vida? Jesus lhe tem dado bênçãos incontáveis? Ele tem acumulado para você um estoque de misericórdias, que olhos não têm visto e sobre as quais ouvidos não têm ouvido (ver 1Coríntios 2.9)? Então, faça por Jesus alguma coisa digna do amor dele. Não dê ao Redentor que morreu urna mera oferta verbal. Como você se sentirá, quando seu Senhor vier e você tiver de confessar que não fez nada por Ele, exceto manter fechado o seu amor, tal como um poço estagnado, deixando de jorrá-lo em favor dos pobres e da obra dele? Afaste esse tipo de amor! O que os homens pensam de um amor que não se expressa em ações? Ora, eles dizem: "Melhor é a repreensão franca do que o amor encoberto" (

  • 20 de outubro | Devocioonal Diário CHARLES SPURGEON

    20 de outubro | Devocioonal Diário CHARLES SPURGEON

    20/10/2017 Duración: 02min

    20 de outubro. Cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo. (Efésios 4.15)Muitos crentes permanecem raquíticos e atrofiados nas coisas espirituais de forma que mostram a mesma aparência ano após ano. Não são manifestados neles, sentimentos avançados e refinados. Eles existem mas não crescem em tudo naquele que é a cabeça, Cristo. Todavia, devemos ficar contentes por estarmos na folha verde, quando podemos avançar à espiga e, eventualmente, ao grão maduro na espiga? Devemos nos satisfazer em crer em Cristo e dizer: "Estou seguro", sem desejarmos conhecer em nossa experiência mais da plenitude que podemos encontrar nEle? Isto não deve acontecer. Como bons comerciantes no mercado celestial, devemos anelar ser enriquecidos no conhecimento de Jesus. É muito bom conservarmos a vinha de outras pessoas, mas não podemos negligenciar nosso próprio crescimento e maturidade espiritual. Por que sempre tem de ser inverno em nosso coração? É verdade que precisamos ter o nosso tempo de semeadura, mas, oh! que tenhamos i

  • 19 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    19 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    19/10/2017 Duración: 02min

    19 de Outubro. Crianças em Cristo. (1Coríntios 3.1)Você está lamentando porque é muito fraco em sua vida espiritual? Está lamentando porque a sua fé é tão frágil e seu amor tão pequeno? Anime-se, pois você tem motivo de gratidão. Lembre-se: em algumas coisas você é igual ao crente mais forte e adulto. Você e ele foram comprados com o mesmo sangue. Você é um filho adotado de Deus assim como qualquer outro crente. Uma criança é um filho verdadeiro de seus pais, tal como um filho adulto. Você está completamente justificado em Cristo, pois a sua justificação não depende de graus. A sua pequena fé o tornou completamente puro. Assim como os crentes mais avançados, você tem direito às coisas preciosas da aliança, visto que o seu direito às misericórdias da aliança está fundamentado não em seu crescimento espiritual, e sim na própria aliança. Crente, a sua fé em Jesus não é a medida e sim a evidência de sua herança nEle. Você é tão rico quanto o mais rico, se não em prazer, em posse real. A estrela que menos brilha t

  • 18 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    18 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    18/10/2017 Duración: 02min

    18 de Outubro. As tuas pegadas destilam fartura. (Salmos 65.11)Muitas são as pegadas do Senhor que II destilam fartura", porém uma de suas pegadas especiais é a oração. Nenhum crente que gasta bastante tempo em oração terá necessidade de clamar: "Definho, definho, ai de mim!" (Isaías 24.16.) Almas famintas vivem distante do trono de misericórdia e se tornam semelhantes aos campos ressecados em tempo de estiagem. Prevalecer com Deus, em oração determinada, certamente nos tornará crentes fortes -se não felizes. O lugar mais próximo das portas do céu é o trono da graça celestial. Passe muito tempo sozinho com o Senhor Jesus, assim você terá muita segurança. Gaste pouco tempo em comunhão pessoal com o Senhor, e você terá uma fé superficial, defeituosa, com muitas dúvidas e temores, destituída da alegria do Senhor. A pegada da oração, que enriquece a alma, está disponível até para o mais frágil crente e não exige nenhuma realização nobre. Você não é convidado a vir porque é um santo superior, mas apenas por ser sa

  • 17 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    17 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    17/10/2017 Duración: 02min

    17 de Outubro. Disse, porém, Davi consigo mesmo: Pode ser que algum dia venha eu a perecer nas mãos de Saul. (1Samuel 27.1) O pensamento do coração de Davi, nesta ocasião, era falso. Certamente ele não tinha razão para pensar que a unção de Deus sobre ele tinha o propósito de ser abandonada como um ato vazio e sem significado. Em nenhum momento, o Senhor havia deixado o seu servo. Frequentemente, Davi fora colocado em situações perigosas; todavia, não houve ocasião em que não tivesse o livramento por meio da intervenção divina. Variadas foram as provações às quais ele foi exposto. Contudo, em todas as ocasiões, Aquele que enviou o julgamento, também, graciosamente, ordenou um meio de escape. Davi não podia apontar o dedo para qualquer anotação em seu diário e dizer: "Aqui está a evidência de que o Senhor me abandonará", pois todo o curso de sua vida provava exatamente o oposto. A partir do que Deus fizera por Davi, este deveria ter compreendido que Deus ainda seria o seu defensor. Nós duvidamos da ajuda de De

  • 16 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    16 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    16/10/2017 Duración: 02min

    16 de outubro. Disse-lhes Jesus: Vinde, comei. (João 21.12)Nestas palavras, o crente é chamado à intimidade santa com o Senhor Jesus. "Vinde, comei" implica participar da mesma mesa e da mesma comida. Às vezes, elas significam assentar-se lado a lado com o Senhor e reclinar a cabeça no seu ombro. É ser trazido à sala do banquete onde a bandeira de amor redentor balança. "Vinde, comei" nos dá a visão da união com o Senhor Jesus, por que a única comida com a qual podemos nos banquetear, ao comer com Jesus, é Ele mesmo. Oh! que união profunda! É uma profundidade que a mente não pode imaginar, esta de nos alimentarmos de Jesus. "Quem comer a minha carne e beber o meu sangue permanece em mim, e eu, nele" (João 6.56). "Vinde, comei" também é um convite para desfrutarmos de comunhão com os santos. Os crentes diferem em vários pontos, mas todos eles têm o mesmo apetite espiritual. Se não podemos ter os mesmos sentimentos, podemos nos alimentar do mesmo pão da vida enviado do céu. Na mesa de comunhão com Jesus, somos

  • 15 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    15 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    15/10/2017 Duración: 02min

    15 de outubro.Quem poderá suportar o dia da sua vinda? (Malaquias 3.2)A primeira vinda de Jesus aconteceu sem qualquer pompa ou demonstração de poder visíveis. Mas, na verdade, houve poucos que foram capazes de suportar o poder testador dessa vinda. Herodes e toda a Jerusalém ficaram agitados com a notícia do maravilhoso nascimento. Aqueles que imaginavam estar esperando pelo Messias demonstraram a falácia de sua confissão, ao rejeitarem-no, quando Ele veio. Sua vida na terra foi uma peneira, a qual pôs à prova o grande amontoado de profissão religiosa, e poucos suportaram o processo. Mas, o que será o segundo advento de Cristo? Que pecador é capaz de suportar os pensamentos a respeito desse advento? "Ferirá a terra com a vara de sua boca e com o sopro dos seus lábios matar á o perverso" (Isaías 11.4). Quando, em sua humilhação, as únicas palavras de Jesus para os soldados foram: "Sou eu", eles recuaram e caíram por ter'ra (ver João 18.5,6). Qual será o terror de seus inimigos quando Ele se revelar mais plena

  • 14 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    14 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    14/10/2017 Duración: 02min

    14 de Outubro. Considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor. (Filipenses 3.8)O conhecimento espiritual de Cristo será um conhecimento pessoal . Não posso conhecer a Jesus por meio da familiaridade de outra pessoa com Ele. Preciso conhecê-lo eu mesmo. O conhecimento espiritual de Cristo será um conhecimento inteligente. Tenho do conhecê-Lo, não como os sonhos utópicos sobre Ele, mas como Ele se revela na Palavra de Deus. Tenho de conhecer as duas naturezas de Cristo, tanto a divina como a humana. Preciso conhecer os ofícios, os atributos, as obras, a humilhação e a exaltação de Cristo. Tenho de meditar na pessoa de Cristo, até que compreenda com todos os santos "qual é a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade" do amor dele "que excede todo entendimento" (Efésios 3.18,19). O conhecimento de Cristo será um conhecimento afetivo. Na verdade, se realmente O conheço, tenho de amá-Lo. Um pouco de conhecimento de coração é melhor do que grande quantida

  • 13 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    13 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    13/10/2017 Duración: 02min

    13 de outubro . A tristeza segundo Deus produz arrependimento. (2 Coríntios 7.10)O verdadeiro arrependimento é obra do Espírito de Deus. O arrependimento é uma flor seleta que não brota no jardim da natureza humana. A pérola se forma naturalmente no interior da ostra, mas o arrependimento nunca se manifesta nos pecadores, se a graça de Deus não agir neles. Se você tem uma partícula de verdadeiro ódio para com o pecado, foi Deus quem lhe deu este sentimento, pois os abrolhos da natureza humana nunca produziram um único figo. "O que é nascido da carne é carne" (João 3.6). O verdadeiro arrependimento tem uma ref erência específica para com o Salvador. Quando nos arrependemos do pecado, precisamos ter um olho no pecado e outro na cruz. Será melhor ainda fixarmos ambos os olhos em Cristo e enxergarmos nossas transgressões tão-somente à luz do amor dele. A verdadeira tristeza para com o pecado é eminentemente prática. Ninguém pode dizer que odeia o pecado, se vive no pecado. O arrependimento nos faz ver a malignida

  • 12 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    12 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    12/10/2017 Duración: 02min

    12 de Outubro. Meditarei nos teus preceitos. (Salmos 119.15)Existem ocasiões em que a solidão é melhor do que estar na companhia de pessoas, e o silêncio é mais sábio do que o falar. Seríamos crentes melhores, se gastássemos mais tempo sozinhos, esperando em Deus e reunindo, por meio da meditação nas Escrituras, forças espirituais para trabalharmos na obra dele. Devemos meditar nas coisas de Deus porque assim obtemos a verdadeira nutrição que elas nos podem fornecer. A verdade é semelhante a um cacho de uvas. Se desejamos obter vinho do cacho, temos de esmagá-lo e espremê-lo muitas vezes. Os pés do espremedor devem vir alegremente sobre os cachos; de outra forma, o suco não fluirá. Devem pisar bem as uvas, ou então, muito do líquido precioso será desperdiçado. Assim também devemos, por meio da meditação, espremer o cacho da verdade, se desejamos obter dele o vinho da consolação. Nossos corpos não são mantidos apenas por levarmos a comida à boca. O processo que realmente fornece energia aos músculos, nervos, t

  • 11 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    11 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    11/10/2017 Duración: 02min

    11 de outubroLevantemos o coração, juntamente com as mãos, para Deus nos céus. (Lamentações 3.41)A prática da oração nos ensina o quanto somos indignos; e esta é uma lição bastante proveitosa para pessoas orgulhosas como nós. Se Deus nos outorgasse favores sem nos constranger a orar por tais favores, nunca saberíamos quão pobres realmente somos. Uma oração verdadeira é um inventário de coisas das quais precisamos, um catálogo de necessidades e uma revelação de pobreza ocultada. Enquanto é uma alusão da riqueza divina, é uma confissão do vazio humano. O estado mais saudável de um verdadeiro crente é o de ser sempre vazio ou pobre em si mesmo, para permanecer em constante dependência do Senhor para o suprimento de suas necessidades; estar rico em Jesus, fraco pessoalmente, mas poderoso em Deus para realizar grandes proezas. Eis a razão da prática da oração -ao mesmo tempo em que adora a Deus, ela coloca a criatura onde esta deve realmente ficar: prostrada no chão. O oração em si mesma, independentemente da resp

  • 10 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    10 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    10/10/2017 Duración: 03min

    10 de outubro . Imaculados diante da sua glória. (Judas 24)Em nosso coração, perscrutamos esta maravilhosa palavra "imaculados". Ainda estamos aquém desta realidade. Todavia, como nosso Senhor nunca para antes da perfeição em sua obra de amor, um dia chegaremos a esse estado. O Salvador que guardará seu povo até ao fim, Ele mesmo os apresentará, na consumação, diante de Si mesmo, como Igreja gloriosa, sem qualquer mácula, ruga ou coisa semelhante (ver Efésios 5.27). Todas as joias da coroa do Salvador são de primeira qualidade e não têm o menor defeito. Todas as damas de honra que atendem à esposa do Cordeiro são virgens puras e sem manchas. Os crentes serão santos e não terão defeitos. Mas, de que maneira o Senhor Jesus nos tornará imaculados? Em seu sangue, Ele nos lavará de nossos pecados, até que sejamos puros e santos como um anjo de Deus. Seremos vestidos com a justiça de Cristo - aquela justiça que faz o santo que a usa indubitavelmente perfeito, sim, perfeito aos olhos de Deus. Seremos inocentes e inc

  • 9 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    9 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    09/10/2017 Duración: 02min

    9 de Outubro. Poderoso para vos guardar de tropeços. (Judas 24)Em um aspecto, o caminho para o céu é muito seguro. Em outros aspectos, não existe caminho tão perigoso. Está cercado por dificuldades. Um passo em falso -e quão facilmente damos esse passo, quando a graça está ausente -e caímos. Que caminho escorregadio alguns de nós têm de percorrer! Quantas vezes exclamamos como o salmista: "Quanto a mim, porém, quase me resvalaram os pés; pouco faltou para que se desviassem os meus passos" (Salmos 73.2). Se fôssemos alpinistas fortes, de andar seguro, não ficaríamos preocupados com o tropeço. Mas, em nós mesmos, quão fracos somos! Nas melhores estradas logo vacilamos; nos mais agradáveis caminhos rapidamente tropeçamos. Estes nossos frágeis joelhos mal podem suportar nosso peso cambaleante. Um vento leve pode nos abalar, e uma pedrinha, nos machucar. Somos crianças temerosas dando os primeiros passos na caminhada da fé. Nosso Pai celestial nos segura pela mão, pois, do contrário, logo cairíamos. Oh! se estamos

  • 8 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    8 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    08/10/2017 Duración: 02min

    8 de Outubro. Faze-te ao largo, e lançai as vossas redes para pescar. (Lucas 5.4)Aprendemos desta narrativa a necessidade de envolvimento humano. A pescaria foi miraculosa, mas nem o pescador, nem o seu barco, nem a sua rede de pesca foram ignorados. Todos foram usados para apanhar os peixes. Na salvação de almas, Deus emprega muitos instrumentos diferentes. Enquanto o presente sistema de graça permanecer, Ele será agradado pela loucura de pregar para salvar os que crêem. Ao agir sem instrumentos, sem dúvida, Deus é glorificado; mas Ele mesmo escolheu este método como aquele por meio do qual é mais glorificado na terra. Métodos, por si mesmos, são absolutamente inúteis. "Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos" (Lucas 5.5). Qual foi a razão para esta afirmação? Eles conheciam bem o trabalho, não eram inexperientes. Lançaram-se ao trabalho sem habilidade? Não. Faltou-lhes empenho? Não. Haviam trabalhado arduamente. Faltou-lhes perseverança? Não. Haviam trabalhado durante toda a noite. Faltavam

  • 7 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    7 de outubro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    07/10/2017 Duración: 02min

    7 de outubro.Por que fizeste mal a teu servo? (Números 11.11)Nosso Pai celeste nos envia problemas freqüentes para testar nossa fé. Se ela é realmente valiosa, resistirá ao teste quando a provação lhe sobrevier. O objeto dourado teme o fogo, mas o ouro não. A jóia artificial receia ser tocada pelo diamante, mas a verdadeira não teme qualquer teste. É fraca uma fé que confia em Deus somente quando os amigos são leais, o corpo está com saúde, e os negócios estão prosperando. A fé verdadeira se apega à fidelidade do Senhor, quando os amigos se vão, quando o corpo está enfermo, quando o espírito está abatido e quando a luz da presença de Deus se oculta. "[Ainda que] ele me mate, nele esperarei" (Jó 13.15 - ARC) -esta é a fé professada por uma pessoa nascida do céu. O Senhor aflige seus servos para glorificar a si mesmo, pois é muitíssimo glorificado nas virtudes de seu povo, as quais são obras dele mesmo. Visto que "a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança" (Roma

página 1 de 19